Ella De Vuono: muito além do que os olhos podem ver

Ella De Vueno

É comum tomarmos a decisão de ir em uma festa pela atração escalada. Os motivos podem ser os mais diversos: pode ser aquele DJ internacional que você tanto esperava, um brazuka que você admira, um amigo que está se apresentando, um DJ que tem ótimas produções ou alguém que domina como poucos a arte da mixagem… ou seja, nestes casos, quando você paga pelo seu ingresso para ver um artista, você está comprando uma experiência que só ele e apenas ele pode entregar.

Mas além dos nomes já consagrados que provaram entregar algo especial ao público, é possível encontrar artistas que podem corresponder à altura, como é o caso de Ella De Vuono. Quem já esteve cara a cara com Rafaella, da pista para a cabine, e teve a oportunidade de curtir algumas horas da festa com ela no comando, sabe do que estamos falando — quando pisa no palco, podemos dizer que Ella De Vuono se transforma.

A começar por aquilo que os olhos podem ver: a combinação de uma técnica impecável, misturando estilos e fazendo scratches, com seu corpo traduzido em uma obra de arte graças à pintura corporal que ganha vida por Silvia Campi, responsável pela maioria das caracterizações. A união de repertório, feeling, visuais e técnica faz com que quem esteja na pista sinta toda a energia e entenda a mensagem que Ella De Vuono busca passar em cada uma de suas apresentações.

Ella De Vuono

Mas se engana quem pensa que a artista se destaca apenas por aquilo que os olhos podem ver. Ella possui postura de gente grande e é dona de uma forte personalidade que é traduzida através de suas ações: se posiciona, luta pelas minorias e faz sua parte dentro de uma sociedade machista que, lentamente, está se libertando de pensamentos arcaicos. Rafa entende que possui uma posição importante no cenário enquanto artista e utiliza isso a favor dos conceitos que prega e acredita. 

Podemos dizer que muitos desses valores, tão presentes na personalidade da artista, tem sua origem em uma relação intensa com a família, principalmente os avós. Um pouco disso tudo que falamos acima pode ser visto, ouvido e sentido através do mini documentário que Ella De Vuono produziu em parceria com a BURN, no ano passado, depois que conquistou o prêmio de 1º lugar no BURN Residency Brasil 2019. Se você quiser acompanhar as novidades da artista, é só se conectar através do seu Facebook, Instagram ou seu novo site.

Assista ao mini doc aqui.

Leia Também: 15 documentários e filmes sobre artistas, festas e festivais de música

CONFIRA MAIS:

- Para receber cupons de desconto e mais informações sobre festas e festivais de música, clique aqui
- Para participar dos nossos grupos exclusivos de wsapp e receber as novidades em primeira mão, clique aqui

- Siga também nossos perfis no Instagram: @bruejode e @wegoout

Administradora paranaense, morou alguns anos em São Paulo e adora as várias opções de festas e eventos que a cidade oferece. É viciada em festivais, não tem medo de encarar um sozinha! Já passou por mais de 15 fora do Brasil, como Creamfields (UK), SXSW (Austin), Coachella (CA), Ultra (Miami e Croácia) e Mysteryland (NL). Divide suas paixões musicais entre techno e indie rock!

Comente aqui:

Comente aqui!
Por favor, preencha com seu nome