Entrevista | Loco Dice compartilha visão sobre a música no Tribe Festival

Loco Dice Tribe

Conhecido por quebrar as barreiras dos gêneros musicais, passeando pelo que há de mais variado no Tech House, House, Techno, o DJ e produtor Loco Dice apresentou um set muito poderoso e cheio de referências no Tribe Festival. Radicado na Alemanha, o artista comanda duas labels, Desolat, que abriga sonoridades voltadas ao Tech House, House e Minimal Deep Tech, e En Couleur, uma gravadora que recebe algumas produções do artista que seguem uma estética específica.

Batemos um papo com Loco Dice no Tribe Festival, em que compartilhou detalhes sobre sua visão das labels, da música e da cena em geral, além de experiências, desafios durante a pandemia e muito mais, confira:

Alô Loco Dice! Como você está?

“Olá! Estou me sentindo muito bem hoje!”

Você tem duas labels, Desolat e En Couleur, e eu notei que já faz bastante tempo desde o último lançamento das gravadoras e fiquei me perguntando se é sinal de que algo novo e especial vem por aí…

“Bom, para falar a verdade, um mês atrás eu quis fechar as duas gravadoras. Eu não tive vontade de lançar música durante a pandemia, e sabe, eu só faço as coisas quando vem do coração, e eu não estava sentindo à vontade, nem fazia sentido para mim lançar nada, mas pouco a pouco comecei a me sentir mais motivado. A En Couleur é mais a minha label, onde lanço as tracks que produzo e sinto que se encaixam lá. Vamos reativar a Desolat logo, vai ser com de um artista jovem de Miami, e já está quase saindo, só preciso preparar o lançamento.

Também vamos lançar uma nova label, já temos dois singles, com uma sonoridade um pouco diferente da Desolat, que é uma mistura de tudo que eu gosto de tocar, e agora a Desolat vai ficar mais focada na música de pista, de club, e a nova label vai ter um formato mais aberto, para todas as maluquices que eu tenho e toda a diversão que eu gosto tanto.”

Loco Dice Tribe

Qual foi a lição mais valiosa que você teve ao comandar as labels ao longo dos anos?

“A lição mais valiosa? Não gastar muito dinheiro com isso! A verdade é que a gente não faz dinheiro com as gravadoras, nem os artistas fazem. Especialmente nos dias de hoje, tudo toca no Spotify, nas plataformas de streaming, e é uma mega correria para lançar e produzir conteúdo para as plataformas. Eu não tenho as gravadoras pelo negócio, eu faço pelo lançamento, é como uma coleção, tipo ‘eu tenho essa track desse produtor, e ela encaixa na minha gravadora’, é por isso que eu faço. Outra coisa que eu considero muito também, é que eu gosto de mostrar para o mundo que até o produtor mais jovem com um computador pode lançar por uma grande gravadora. Eu não me importo quem você é ou de onde você vem, o que me importa é a música. Se a música for boa e se encaixar, você está dentro.”

Isso é incrível, se a música vai a algum lugar é por pessoas como você, que acreditam na música, que vivem a música e que fazem o que fazem pela música, em primeiro lugar.

“E é exatamente por isso que eu não lancei nada nos últimos anos! Eu estava com motivação zero!”

Falando sobre seu set aqui na Tribe, o que a gente pode esperar?

“Loco Dice!

Bom na verdade eu não sei ainda, vou checar a pista, entender qual é a vibe do público, o que tá rolando, meu manager está lá deixando tudo no jeito. Tudo varia de acordo com muitos aspectos, é o público, o espaço, o som, a vibe, tudo. Vamos ver o que vai dar”

Para fechar, se você fosse um raver aqui no festival, qual artista você jamais perderia?

“Loco Dice!”

Leia também: Entrevista | WhoMadeWho e sua evolução como projeto no Tribe Festival

CONFIRA MAIS:

- Para receber cupons de desconto e mais informações sobre festas, clique aqui!
- Confira nossos grupos exclusivos de WhatsApp aqui!

- Siga também nossos perfis no Instagram: @bruejode e @wegoout

DJ, produtor musical e graduado em Comunicação Social pela ESPM SP, seu objetivo de vida é emocionar as pessoas e fazer com que elas sintam lá no fundo algo confortante. Seja tocando em festas, produzindo suas próprias tracks ou escrevendo textos, acredita que a música eletrônica tem o potencial único de unir pessoas e trazer bons momentos e experiências inesquecíveis.

Comente aqui:

Comente aqui!
Por favor, preencha com seu nome