Entrevista: artista português Vicktor conta sobre o lançamento de “Falling”

Vicktor
Foto: Divulgação

Victor Oliveira, mais conhecido como Vicktor, é um produtor de música eletrônica/pop de 25 anos nascido e residente em Vila Nova de Gaia, Portugal. Iniciou a sua carreira musical em 2014, ainda muito jovem, inspirado principalmente por artistas como Avicii, David Guetta, Hardwell, Martin, Nicky Romero e Swedish House Mafia.

Há alguns anos o artista foi gradualmente adquirindo um estilo mais maduro, se distanciando aos poucos do estilo que predominava no início da carreira, e caminhando agora para um estilo mais pop eletrônico.

mr ruiz

Em novembro, Vicktor lançou a música “Falling” que nos chamou muita atenção pela qualidade de produção e pela emoção que o artista entrega na melodia. O single é um cover da música homónima de Trevor Daniel, entretanto possui um estilo mais pop com alguns toques de música eletrônica, o que resulta numa sonoridade única e muito particular do Vicktor.

Aproveitamos para bater um papo com o artista português para conhecê-lo melhor e entender um pouco mais sobre seu projeto e o último lançamento. Confira:

No dia 11 de novembro você lançou o single “Falling”. Pode nos contar um pouco sobre o processo de criação e o que essa música representa pra você?

O processo de criação foi bastante simples e considero que tenha sido um projeto muito natural. Desde a ideia geral da música e a estrutura que iria ter, até a gravação do vocal e dos instrumentos – tudo a partir do computador -, tudo demorou cerca de três dias.

Em relação ao que representa para mim, posso dizer que reflete uma fase da minha vida, portanto, quando ouvi a música original do Trevor Daniel pela primeira vez, identifiquei-me com a letra e quis fazer a minha própria versão com meu próprio sentimento.

Quais são os artistas que você tem ouvido e se inspirado que não sejam tão conhecidos pelo público? 

Eu gosto muito do DROELOE e do Taska Black. Sei que esses artistas não são muito conhecidos na Europa e no Brasil, mas são artistas que me inspiro bastante e gosto muito dos seus projetos. Tenho, inclusive, algumas referências deles, em que me baseio para algumas das minhas produções.

Quais você considera que tenha sido os momentos e os projetos mais marcantes da sua carreira?

Sem dúvida este novo single entra na lista. Não só pelo fato de eu incluir minha própria voz pela primeira vez em uma produção, mas porque marca uma nova etapa, quer em termos de estilo, quer em termos do que eu quero para o meu futuro. Todas as outras produções anteriores foram muito importantes para eu chegar até esta fase, mas a que se destaca, de momento, para mim é mesmo a “Falling”. Estou ansioso também para partilhar os próximos trabalhos dentro deste estilo que já tenho preparado. Em relação aos projetos antigos, não posso deixar de mencionar que todos eles, mesmo os que não tiveram tanto impacto, foram muito importantes para eu chegar até aqui.

Neste single é a primeira vez que você usa sua própria voz do começo ao fim. Que mudanças isso traz pra sua trajetória como artista?

Para quem já conhece minha carreira desde o início, eu tenho influências de House Music, é daí de onde vem minhas raízes. Entretanto, a “Falling” representa um momento de virada na minha produção porque antes eu costumava produzir apenas a parte instrumental e normalmente deixava a voz para outro intérprete. Agora, entretanto, ambiciono – e espero alcançar – ser um artista completo e não quero produzir somente o instrumental, mas também gravar todas as vozes e, inclusive, ser responsável por todo o processo de criação de imagem, ou seja, desde o artwork, ao videoclipe.

Quais são os planos para o futuro e quais os próximos lançamentos?

Os meus planos para o futuro, neste momento, perpassam por continuar com esta trajetória de “Falling”, ou seja, o tipo de estilo, de produção e de voz. Tenho também alguns EPs preparados para o próximo ano, que vou, em breve, revelar as datas e o conceito por trás deles. O próximo lançamento que já está confirmado é outro cover, desta vez da música Bloody Valentine, do Machine Gun Kelly e será lançado no dia 12 de fevereiro de 2021.

Leia Também: Go Girl #4: Curol | Conheça mais sobre a DJ e produtora

CONFIRA MAIS:

- Para receber cupons de desconto e mais informações sobre festas e festivais de música, clique aqui
- Para participar dos nossos grupos exclusivos de wsapp e receber as novidades em primeira mão, clique aqui

- Siga também nossos perfis no Instagram: @bruejode e @wegoout

Administradora paranaense, morou alguns anos em São Paulo e adora as várias opções de festas e eventos que a cidade oferece. É viciada em festivais, não tem medo de encarar um sozinha! Já passou por mais de 15 fora do Brasil, como Creamfields (UK), SXSW (Austin), Coachella (CA), Ultra (Miami e Croácia) e Mysteryland (NL). Divide suas paixões musicais entre techno e indie rock!

3 Comentários

Comente aqui:

Comente aqui!
Por favor, preencha com seu nome