Entrevista: Zoldan apresenta seu talento como produtor musical na track “Eternity”

Zoldan

Todos sabemos que para um DJ ou produtor alcançar um lugar ao sol – ou entrar em uma Playlist editorial – é preciso estudar muito e levar a sério a carreira musical, e podemos dizer que esse é o caminho que está sendo traçado por Rafael Zoldan.

Com apenas 20 anos, Zoldan tem provado que seus conhecimentos na graduação de Produção Musical na Anhembi Morumbi estão valendo a pena. Hoje, 04 de junho, o paulista apresentou a track “Eternity”, pela Vex Distro, label de progressive/melodic house dos Estados Unidos.

Zoldan colecionou em seu primeiro ano de projeto lançamentos com ótima aceitação do público, como ‘Sunset City’ pela MyDeepHouse com mais de 120 mil plays no Spotify e “Talk To Me” pela Smoke Music com mais de 50 mil plays. Além disso, também emplacou os singles “Take” pela Vibez Sounds, “The Power” e “Let’s Go” pela Deep Bear Recordings, “Move & Down’ pela Muzenga Records, ‘Atmos’ pela Maniana Records, da Grécia, e ‘Just Try’ pela Alps Records.

Aproveitamos para bater um papo com o produtor, que já tocou em grandes lugares como Energia 97, com Adriano Pagani no programa Vibe 97; 8-Bits Club, dividindo palco com Ronald; The Year Club, Excalibu Festival, Rádio Anhembi, Lamp Club, After Music Bar, entre outros. Confira:

Zoldan, conta pra gente um pouco sobre a faixa “Eternity”, quais foram suas inspirações e o processo de produção?

A “Eternity” é uma track muito especial pra mim por conta de muitos fatores. Quando eu decidi que ia começar uma faixa nova, tinha decidido que seria inspirada no som do Fancy Inc., o duo que vem explodindo pelo Brasil e pelo mundo. Quando comecei a produzi-la, por coincidência era na época que eles tinham soltado o workshop deles. Eu assisti todo o workshop e me inspirei muito pra fazer essa música, inclusive, utilizei muitas coisas do sample pack disponibilizado por eles!

Essa track possui uma vibe única, o break tem uma melodia bem chiclete e os vocais são mais marcantes ainda. E os drops são muito dançantes, bem característicos do progressive. Todo o processo de produção dessa track foi incrível, e no final de tudo, recebi um feedback sensacional do Fancy Inc, que foi em uma live de feedbacks que eles fizeram, e eles gostaram DEMAIS da track, toda galera do chat da live curtiu demais também! Agora estou torcendo para receber um suporte deles para fechar com chave de ouro!

Percebemos que na música “Eternity” tem uma história sendo contada, como você descreveria essa história?

A track começa com a menina cantando sozinha sobre coisas fofas, tipo “can I be your star tonight?” (posso ser a sua estrela essa noite?), “I don’t wanna leave your side” (eu não quero sair do seu lado). E depois, o menino entra e canta junto com ela, mas fazendo apenas um papel de backing vocal, meio distante ainda, e a menina fazendo o papel principal, e eles cantam “I hope you still want me, I hope you still need me” (eu espero que você ainda me queira, eu espero que você ainda precise de mim), dando a entender que os dois estavam junto, só que nesse momento estão separados, mas sofrendo muito com isso. No drop, o menino entra cantando sozinho, fazendo o papel principal e em seguida, a menina entra pra cantar junto com ele, mas fazendo apenas o papel de backing vocal, ou seja, os papéis se inverteram! Isso mostra pra gente que os dois estão sofrendo com essa separação.

No segundo break, o menino começa cantando sozinho, mas a menina já entra em seguida e canta junto com ele, e os dois estão fazendo o papel de vocal principal, indicando que eles estão se aproximando de novo! E no segundo drop, é onde a reconciliação acontece, eles entram cantando junto de uma maneira que não tinham feito anteriormente na música, marcando a reconciliação dos dois! Eu achei que essa história ficou linda demais, eu quero muito poder entregar essa história para o máximo de pessoas possíveis, no Brasil, e ao redor do mundo.

Quais artistas são suas principais influencias musicais, que ajudaram a moldar seu estilo como DJ e produtor?

Como eu sou apaixonado por música eletrônica desde pequeno, muitas das minhas referências vem lá de trás, muito do EDM, que eu escutava muuuito quando era criança, e nos dias de hoje, da cena brasileira. Então, acho que a minha maior inspiração é o Martin Garrix, desde 2013/2014, e toda a galera do EDM, Hardwell, DVBBS, Armin, Tiesto, R3HAB, Timmy Trumpet, Afrojack, David Guetta, Avicii, etc. Da cena atual daqui do Brasil, minhas inspirações são Vintage Culture, Cat Dealers, KVSH, Liu, Fancy Inc, Alok, VINNE, JORD, dentre toda essa galera.

Quais os principais desafios e aprendizados que encontrou desde que lançou o projeto?

Eu acho que o meu maior desafio, e pra todo mundo que está começando, é sair do zero, aprender literalmente tudo do zero, aprender a produzir, aprender sobre distribuição, aprender sobre o mercado, sobre marketing, etc. E uma coisa muito complicada é o reconhecimento, criar a sua fan base, no começo é bem difícil, estou passando bastante por isso (rs).
E aprendizados tem muitos, muitos mesmo, mas um dos maiores que tive foi o mindset de “se eu não fizer, ninguém vai fazer por mim”.

O que está planejando ainda para esse ano? Pode adiantar alguma novidade?

Eu estou planejando lançar mais tracks pra vocês esse ano, com bootlegs também. Mas o projeto da ‘Eternity’ é o maior de todos no momento!

Zoldan

Não deixe de seguir Zoldan no Instagram e curtir o perfil do artista no Spotify para ficar por dentro das novidades.

Leia Também: Tech House | DJ e produtor CZAR fala sobre sua paixão pelo subgênero

CONFIRA MAIS:

- Para receber cupons de desconto e mais informações sobre festas e festivais de música, clique aqui
- Para participar dos nossos grupos exclusivos de wsapp e receber as novidades em primeira mão, clique aqui

- Siga também nossos perfis no Instagram: @bruejode e @wegoout

Administradora paranaense, morou alguns anos em São Paulo e adora as várias opções de festas e eventos que a cidade oferece. É viciada em festivais, não tem medo de encarar um sozinha! Já passou por mais de 15 fora do Brasil, como Creamfields (UK), SXSW (Austin), Coachella (CA), Ultra (Miami e Croácia) e Mysteryland (NL). Divide suas paixões musicais entre techno e indie rock!

Comente aqui:

Comente aqui!
Por favor, preencha com seu nome