Festas pelo Mundo | deGust nos conta sobre os afters na Irlanda

festas Irlanda

Já se perguntou como funcionam as festas na Irlanda e quais os lugares mais quentes pra quem quer ir a fundo na vida noturna eletrônica de Dublin? Então prepare-se!

“Festas pelo Mundo” é a mais nova série do We Go Out, aqui iremos trazer conteúdos de múltiplos artistas compartilhando suas experiências da cena eletrônica de diferentes partes do mundo, levando você mais perto de lugares que hoje estão distantes geograficamente. A ideia é falar sobre curiosidades, cultura, comportamento do público, clubs, estilos sonoros, trazendo recortes a partir da visão de um artista que viveu tudo isso na prática.

mister ruiz

Começamos nossa viagem a cerca de 10 mil km, embarcando de Curitiba para Dublin a convite do DJ e produtor gaúcho deGust, que hoje está de volta ao Brasil após passar uma temporada na capital da Irlanda. Ele já foi regente de coral por cinco anos, trabalha com trilha sonora desde 2012 e vem experimentando música eletrônica há mais ou menos cinco; Caiu no universo do Techno mais recentemente e lançou algumas faixas pela Prisma Techno, gravadora referência no estilo aqui no Brasil:

Aumente o volume com o EP Cosmic Arena acima enquanto você embarca nessa história e descobre um pouco mais sobre festas e a noite eletrônica de Dublin, na Irlanda.

deGust e os afters na Irlanda

“Acho que um dos pontos mais marcantes dessa experiência em Dublin foi a questão da acessibilidade. Por uma questão estrutural, social e de menor desigualdade, os eventos lá cabem no bolso de qualquer trabalhador, mesmo daqueles considerados “subempregos” que geralmente ficam por conta dos imigrantes. 

Obviamente que todo país tem seus pontos fracos. Lá tudo encerra obrigatoriamente às 3h da madrugada. Todos os pubs literalmente fecham e as festas terminam. Por conta disso, se cria uma grande demanda dos famosos afters (ilegais de certa forma, já que na teoria nada pode estar aberto depois das 3h). Existe uma procura enorme de afters na cidade e muitas vezes acabam sendo o momento principal da noite. Não foi uma nem duas vezes que deixei de ir na festa para ir apenas no after, por considerar que o lineup e a vivência eram mais interessantes que o evento principal. 

Numa dessas acabei tendo a oportunidade de conhecer o dono, trocar uma ideia e conseguir uma gig nesse espaço que eu já tinha ido curtir algumas vezes: O after organizado pela Secret Society, que é bem consolidada naquelas bandas. Com diferentes ambientes que incluem até sala de cinema mudo (o lugar perfeito pra quem quer dar aquela pausa da pista).

Chegando em Dublin, senti o que acho que todo mundo sente quando vai pra Europa: primeiro o frio, depois a constatação de que o techno predomina entre todos os estilos. Do melodic ao raw, do minimal ao peaktime. O techno tá em todas. Tive a oportunidade de ver grandes nomes ao vivo, como o mestre Patrice Baumel e o live do Reinier Zonneveld, que em termos técnicos é um dos grandes lives da atualidade. 

Mas confesso que o que mais me impressionou foram dois artistas locais. O DJ VLAD (Vladimir Miler), que é daqueles DJs que não dão descanso pra pista, técnica absurda e leitura muito boa do front. E também a NANCY LIVE (Lauren Rusowicz), que tem um dawless live impressionante, com uma performance e energia bem singulares, além de ser uma pessoa muito carismática.

Ter ido pra lá foi sem dúvida uma ótima experiência. Fui com a intenção de trabalhar para juntar uma grana, conhecer a cena eletrônica, correr atrás de oportunidades e quem sabe até um futuro mestrado envolvendo produção musical. E de fato posso dizer que todas essas coisas, tirando o mestrado, se realizaram em algum nível. 

Dublin é com certeza uma cidade muito cativante e que tem uma vida noturna muito ativa. Tão ativa, que a vida noturna começa já durante o dia. Sair do trabalho às 17h para beber uma pint (copo de cerveja de 568ml) é quase uma obrigação. Uma pint leva a outra e quando você percebe já está no District 8, Pygmalion ou Berlin pra curtir um som. E depois das festas principais é que vem a melhor parte: as after parties.”

Festas Irlanda
Foto: Divulgação | deGust

Fiquem de olho que em breve traremos dicas de festas em outros lugares pelo mundo além da Irlanda!

Leia Também: Quanto custa ir para o Burning Man, na Black Rock City, em Nevada?

CONFIRA MAIS:

- Para receber cupons de desconto e mais informações sobre festas e festivais de música, clique aqui
- Para participar dos nossos grupos exclusivos de wsapp e receber as novidades em primeira mão, clique aqui

- Siga também nossos perfis no Instagram: @bruejode e @wegoout

Administradora paranaense, morou alguns anos em São Paulo e adora as várias opções de festas e eventos que a cidade oferece. É viciada em festivais, não tem medo de encarar um sozinha! Já passou por mais de 15 fora do Brasil, como Creamfields (UK), SXSW (Austin), Coachella (CA), Ultra (Miami e Croácia) e Mysteryland (NL). Divide suas paixões musicais entre techno e indie rock!

Comente aqui:

Comente aqui!
Por favor, preencha com seu nome