GO GIRL #33: NYELLA enche a pista de emoção, força e energia

NYELLA

Daniela Amaral, DJ e produtora por trás do projeto NYELLA é reconhecida por sua presença de palco e performances enérgicas. Sua sonoridade viaja pelo Melodic Progressive House e tem um lançamento mais do que especial chegando no dia 25 de março, a track “Alright” pela CONTROVERSIA, que vai marcar uma nova fase da sua carreira. 

Produtora audiovisual pela Faculdade das Américas e produtora musical pela Escola de Música Eletrônica DJ Ban, NYELLA já se apresentou em importantes bares, clubs e eventos como Tulum, Mahau, Galleria Bar, Highline, Clash Club, Club 33, Excalibur Festival, Terraço Club, e um show em Bento Gonçalves-RS para mais de três mil pessoas, além de ter dividido palco com outros grandes artistas como Laudz (Tropkillaz), Devochka e Louie Cut.

kalla orbis

Nosso Go Girl de hoje é com NYELLA, que abriu as portas para contar sua história, inspirações, experiências profissionais e planos futuros. Confira!

Lá do início, conta pra gente como tudo começou? Qual é sua memória mais antiga com a música, e o que fez você decidir trabalhar com isso?

“Tudo começou em 2010 quando eu tinha 11 anos e fui assistir o show do The Black Eyed Peas, o David Guetta fez o show de abertura, e no momento em que ele entrou no palco, fiquei arrepiada e logo notei como a energia do público subiu. Imediatamente eu pensei ’caraca, quero um dia poder subir naquele palco e transmitir essa energia para as pessoas’. Naquele momento eu soube o que eu queria para minha vida. Com o tempo eu aprendi que era possível eu criar minhas ‘próprias batidas’, e a partir daquele momento eu me apaixonei ainda mais pela indústria da música. Em 2016 montei meu projeto ‘NYELLA’ e fiz curso de DJ e produção musical na DJ Ban, em São Paulo, para aprimorar meus conhecimentos. A partir deste momento venho seguindo minha carreira com muita paixão, amor e respeito pela música.”

Quais são suas referências musicais, tanto suas inspirações para produzir suas tracks autorais e sets, quanto artistas que você ouve no dia-a-dia?

“Minhas referências do universo da música eletrônica são David Guetta, Tiësto, Vintage Culture, Bhaskar, ARTBAT, Don Diablo, Ben Bohmer e YTRAM.”

Além da música, quais outras artes te inspiram? Quais artistas, sejam plásticos, atores, produtores, diretores, pintores, desenhistas, etc são fonte de inspiração para seu trabalho?

“Tenho como inspiração o produtor musical Max Martin e os escritores Austin Kleon, Augusto Cury, Mark Manson, Hal Elrod (amo esses livros de autoajuda).”

Sendo mulher e artista, imaginamos que você tenha enfrentado vários desafios. Quais foram os principais desafios que você enfrentou na sua jornada no mercado da música eletrônica? Como lidou com eles? 

“Já houve várias situações em que artistas se apresentaram antes de mim e desconfiguraram todo o equipamento antes de eu entrar para tocar, para ver se eu sabia usar. Lidei com tudo isso mostrando a profissional que sou, e da melhor forma possível fazendo o que eu sempre fiz, mostrando minha habilidade e comandando a pista.”

Você tem um lançamento pra lá de especial chegando no final de Março, sua track “Alright”, que vai marcar o primeiro lançamento feminino na CONTROVERSIA! Como foi o processo criativo para essa track? O que te inspirou, e qual é a mensagem que você procurou transmitir?

“A música foi inspirada e desenvolvida pensando em como trabalhar dentro do progressive de forma que soasse moderno, foi então que optei por usar elementos singulares  pra fazer uma música simples mas profunda, tanto o baixo quanto a lead foram feitas com o mesmo timbre base para que soasse coeso e objetivo. O caminho foi bem rápido levando em consideração que o vocal ajudou muito no processo.”

Como você se prepara para uma gig? Tem algum ritual que sempre faz?

“Eu normalmente rezo e mentalizo a forma como eu quero que aconteça o momento, respiro fundo e entro no palco com o pé direito. Gosto sempre de levar pendrives reserva caso algum não funcione ou para caso eu toque por mais tempo.”

Há quanto tempo você trabalha como DJ e produtora? Quais foram seus principais aprendizados ao longo desses anos?

“Trabalho no meio há mais de 6 anos, e meus principais aprendizados foram que resiliência é o papel mais importante que devemos adotar e temos sempre que continuar estudando e botando em prática. Por último, mas não menos importante: sempre que se sentir pressionada, saia da zona de conforto e respirare novos ares.”

Que conselhos você daria para as meninas que querem começar no mercado da música e no mundo da produção de música eletrônica, mas tem receio por ser um mercado ainda predominantemente masculino?

“Eu diria para ter persistência em seguir o seu sonho e não deixar que nada nem ninguém tire você do seu objetivo. Como tantos outros meios de trabalho vão ter pedras no caminho, mas vai de você querer colhê-las e montar seu próprio castelo. Foque principalmente em estudar e se aprimorar sempre, pois apesar de tudo eu acredito na música acima de qualquer barreira, você tem que focar em se especializar e fazer uma produção de alto nível.”

O que mais podemos esperar de NYELLA para 2022? Tem alguma outra novidade bombástica que possa compartilhar com a gente?

“Venho trabalhando em várias músicas originais, pretendo nesse ano lançar muitas delas ,e, já estou com outro release agendado para junho, um som mais pista em que eu aposto bastante.”

Ficha Go Girl –  NYELLA

Nome Completo: Daniela Salcedo Amaral

Onde nasceu: São Paulo – SP – Brasil

Música Favorita da vida: Rüfüs Du Sol – Innerbloom

Collab dos sonhos: David Guetta, Alok e Tiësto

Leia também: GO GIRL #32: Wavve Musik celebra a energia, a emoção e a positividade

CONFIRA MAIS:

- Para receber cupons de desconto e mais informações sobre festas, clique aqui!
- Confira nossos grupos exclusivos de WhatsApp aqui!

- Siga também nossos perfis no Instagram: @bruejode e @wegoout

DJ, produtor musical e graduado em Comunicação Social pela ESPM SP, seu objetivo de vida é emocionar as pessoas e fazer com que elas sintam lá no fundo algo confortante. Seja tocando em festas, produzindo suas próprias tracks ou escrevendo textos, acredita que a música eletrônica tem o potencial único de unir pessoas e trazer bons momentos e experiências inesquecíveis.

Comente aqui:

Comente aqui!
Por favor, preencha com seu nome