Live Motel consagra-se como referência no Brazilian boogie com novo EP

live motel

Baseado no sucesso de seu terceiro álbum “Vibração”, lançado no ano passado — e que rendeu um remix de Mary Olivetti, como você viu aqui —, o Live Motel, projeto solo de Fabio Santanna, lançou nesta sexta-feira (07) um EP de reworks (isto é, releituras) de duas canções brasileiras dos anos 1970: “Olha o Menino”, de Jorge Ben (que também ganhou fama interpretada por Caetano Veloso), e “Onda”, de Cassiano — um dos “hinos” do Brazilian boogie, ao lado de “Estrelar”, de Marcos Valle.

As duas releituras do Live Motel aproximam posicionam ainda mais o artista como um dos representantes do Brazilian boogie contemporâneo — uma mistura tropical, ensolarada, cheia de groove e irresistível de synth-pop, disco, funk, soul, house e brasilidades —, ao lado de nomes como Fatnotronic (Phillipi & Rodrigo), Trepanado (Selvagem) e Joutro Mundo; e também de gringos do naipe de Poolside, Yuksek e Tensnake, que são referência no universo nu disco/disco house. O EP, assim como o álbum supracitado, foi mixado e masterizado por Pedro Poyart, do duo Mumbaata, e produzido no estúdio que Santanna batizou de Na Nave.

Criado em 2014 por um artista que tem em seu currículo trabalhos ao lado de Toni Garrido, Gabriel, o Pensador, Elza Soares, Lenine e Léo Jaime, o Live Motel vive hoje sua melhor fase, encontrando-se de vez nesse universo. Seus primeiros álbuns, “Live Motel Vol. 1” (2016) e “Live Motel Vol. 2” (2018), também conversavam com todas essas sonoridades que permeiam entre disco, soul e funk, mas com letras em inglês e com menos falsetes, groove, tropicalidade e protagonismo eletrônico, em detrimento a uma maior participação de instrumentos orgânicos e vibe futurista. Bebiam mais de Daft Punk, Giorgio Moroder, Air, Justice e Prince do que de Lincoln Olivetti, Banda Black Rio, Azymuth, Marcos Valle e Cassiano.

A ótima resposta conseguida com “Vibração” — que tinha, desde o princípio, objetivo de saudar os bailes black da Zona Sul e do subúrbio do Rio de Janeiro, que Santanna tanto curtiu na adolescência — mostrou ao cantor, compositor, DJ, produtor e multi-instrumentista que incorporar de vez o Brazilian boogie à sua identidade foi um acerto.

Terceiro álbum do projeto Live Motel, “Vibração” foi lançado em 2020

“Brazilian Boogie Reworks” é uma prova disso — assim como também deve ser o próximo release do Live Motel, “Live Motel Collabs”, um álbum recheado de colaborações especiais, ainda sem data marcada para chegar.

Esse approach, inclusive, pode ter influenciado (bem como ter sido influência) à inauguração do Nu Azeite, dupla que Fabio formou com o DJ Bernardo Campos no fim de 2020, e que lançou seu primeiro álbum no começo desta temporada — bebendo das mesmas fontes e produzindo canções em estilo similar, embora com assinaturas sonoras diferentes.

Seja como for, o groove agradece!

live motel

Leia também: Os grandes eventos estão voltando pelo mundo. Entenda a retomada em diferentes países

CONFIRA MAIS:

- Para receber cupons de desconto e mais informações sobre festas e festivais de música, clique aqui
- Para participar dos nossos grupos exclusivos de wsapp e receber as novidades em primeira mão, clique aqui

- Siga também nossos perfis no Instagram: @bruejode e @wegoout

Tem duas paixões na vida: viagem e música. Com mais de 30 países na bagagem e muitas histórias em festivais, escolheu os cinco dias acampada na lama do Glastonbury e a mágica de trabalhar no Tomorrowland Bélgica como as experiências mais incríveis que já teve.

Comente aqui:

Comente aqui!
Por favor, preencha com seu nome